Confissões

Faço uma trajetória da tua vida nessa solidão.

Da lembrança dos momentos vividos juntos,

ainda que distante pelo espaço a nos separar,

da alegria dos teus gestos espontâneos.

Faço uma trajetória dessa musicalidade,

avaliando tuas reflexões dentro do nosso tempo,

ponderando tuas divagações, nessa realidade circundante.

Da irreverência nas conversas nos bares,

pedindo perdão, preocupado com as aparências,

que enganam e nos consomem entre incertezas.

Certamente fica o teu brilho, nessa partida repentina.

Não se apagarão tuas frases, tua trajetória!

Não importa que cansada, quiseste novos caminhos.

Respeitamos esse teu silêncio profundo!

Confesso-te minha saudade, minha angústia.

Choro-te, convulsivamente, em meu interior,

sentindo falta dessa magia, dessa beleza áspera.

Embriagado pela sonoridade dessa tua melodia,

irreverente nessas lutas pela vida que viveste.

1 me gusta